Presidente nacional ressalta importância das novas tecnologias na 8ª Conferência Estadual na BA

A 8ª edição da Conferência Estadual da Advocacia Baiana começou na quarta-feira (2/8), em Salvador (BA), e o presidente do Conselho Federal da OAB, Beto Simonetti, fez a abertura do evento promovido pela seccional baiana. Na ocasião, ele falou sobre transformação tecnológica na carreira, legalidade e inclusão. 

“Esta Conferência Estadual traz a marca da conjuntura atual de todo o Sistema OAB: interiorização, proteção das prerrogativas da advocacia, qualificação profissional, defesa da democracia e integração da classe. A estratégia-chave da Ordem é promover espaços democráticos e inclusivos como esta Conferência, nos quais todas as vozes, independentemente da região, tenham igual força e audiência”, declarou Simonetti.

Sobre o tema do encontro, “Novas tecnologias, advocacia e sua essencialidade no Estado Democrático de Direito”, ele afirmou que é uma questão urgente para todos os profissionais da área. “A relação entre as novas tecnologias, a advocacia e o Estado Democrático de Direito está na ordem do dia do debate para os operadores do Direito.”

O vice-presidente do Conselho Federal, Rafael Horn, e o diretor-tesoureiro, Leonardo Campos, participaram da cerimônia. 

“O tema escolhido para este encontro é de fundamental importância para o presente e para o futuro da nossa profissão e, consequentemente, para a sociedade. As tecnologias têm moldado o mundo de maneira acelerada, e a advocacia não pode ficar à margem dessas transformações, por isso, a adaptação e a compreensão dessas inovações são essenciais para o exercício eficiente da advocacia”, disse Horn.

De acordo com Leonardo Campos, o encontro é uma excelente oportunidade para a troca de experiências sobre assuntos com os quais advogados e advogadas lidam cotidianamente. “Em tempos em que a informação circula instantaneamente e as barreiras geográficas são reduzidas, é imprescindível que estejamos preparados para enfrentar todas as demandas e assegurar a boa prestação jurisdicional. Por isso, esses debates são tão importantes.”

Sobre o uso da inteligência artificial pela advocacia, a presidente da seccional baiana, Daniela Borges, explicou que “a tecnologia tem que estar a serviço do ser humano”. Ao complementar, ela disse que “é importante frisar que a essencialidade da advocacia no Estado Democrático Direito vai além da simples aplicação das novas tecnologias. A nossa função transcende o uso de ferramentas e se alicerça na defesa intransigente dos direitos e garantias fundamentais de cada cidadão”. 

Debates

Durante os próximos dois dias, até 4 de agosto, cerca de dois mil participantes assistirão a 60 painéis sobre temas do direito relacionados ao tópico “Novas tecnologias, advocacia e sua essencialidade no Estado Democrático de Direito”. Clique aqui e confira a programação. 

Além dos desafios trazidos pela inteligência artificial ao exercício profissional, especialmente questões éticas, de privacidade e segurança, o público também vai acompanhar discussões de pautas como a Reforma Tributária.

Estavam presentes, ainda, a vice-presidente da OAB-BA e diretora científica do evento, Christianne Gurgel; o juiz, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e membro da Academia Brasileira de Direito Civil, Pablo Stolze; e a advogada, ex-procuradora-geral do estado de Minas Gerais e do município de Belo Horizonte e conselheira federal da OAB, Misabel Derzi.

Com informações da OAB-BA

 

 


Source: New feed

X